UM CHOU EM PINHEIROS

Destacado

O Jardim de luzinhas.

É mesmo um show. A Chef e Proprietária do local – e do bom gosto – é a Gabriela Barreto. Não consegui descobrir o motivo do nome do restaurante (Restaurante não. Eu o chamaria de recôndito, lugarzinho, jardim da Alice!), mas não poderia ser mais apropriado.

Estou muito feliz de escrever esse post hoje, pois é o tipo de lugar que cala fundo na minha alma e conversa comigo de forma íntima e particular. É relativamente pequeno. Tem romantismo. Tem bossa. Tem originalidade. E tem um quê de secreto, apesar de estar ficando cada vez mais famoso.

Se tem uma imagem que faz os meus músculos da face se moverem involuntariamente em direção a um sorriso meio frouxo e ávido ao mesmo tempo – refletindo nos olhos – é a de luzinhas amarelas suspensas iluminando um ambiente. Não sei por quê. Mas me conquista de cara. E o local me marcou por isso.

A entrada é estreita, com uma árvore na frente. Passada a porta da frente, o ambiente se abre para uma saleta, eu diria que com quantidades de mesas e cadeiras em número suficiente para conservar no local aquele clima de aconchego. E decorada em tons de madeira-elegante-sem-pompa, se não me falha a memória. Depois, a saleta dá acesso a um corredor cheio de paisagem (paisagismo, no caso, onde a natureza é lindamente distribuída) de frente para a cozinha, onde já se pode ir apreciando a delicadeza do preparo dos alimentos e cobiçando o que se pedirá a seguir, já que ali funciona um agradabilíssimo espaço de espera. Ao fundo, abre-se um lindo jardim, bem onde as luzinhas acontecem.

Fui com um amigo meu e esperamos uns 20 minutos, confortavelmente, num sofazinho do corredor da espera, já acompanhados de uma burrata deliciosa com toque de limão. Acho que pedimos logo um vinho. E poderíamos ter ficado ali a noite toda, sem quase fazer questão de que a vez da nossa aguardada mesa no jardim chegasse logo.

A burrata suuper cremosa já suuuuper devorada... ainda na mesinha da espera do corredor.

A burrata suuper cremosa quase no fim… ainda na mesinha da espera do corredor.

O Jardim de luzinhas.

O Jardim de luzinhas. Tinha até uma lareira no meio <3, que não estava acesa.

Bem, ela chegou rápido, e nós tivemos a felicidade de pedir uma recomendação ao garçom, que nos indicou, talvez, o melhor prato que eu comi nos últimos tempos! Acho que sonhei umas 3 noites com ele. Sério. O cardápio está no site. http://chou.com.br/

Nesta página especificamente:

https://dl.dropboxusercontent.com/u/60423290/ChouMenu_F1%20site.18.08.14.pdf

E o “chou” da noite foi esse tagliatelle fresco de 40 reais com raspas de limao e bacon! Peço – encarecidamente – que provem. E isso é quase uma ordem. Hahah. O atencioso garçom nos explicou que a Chef tem uma atração especial por limão – por isso a grande quantidade de pratos com ele – que é usado brilhantemente – dando um frescor totalmente bem-vindo e apropriado aos alimentos – sem nenhum exagero ou acidez.

IMG_4937

O tal! A foto ficou escura porque o ambiente é escurinho – do jeito que eu amo! – Não usei flash de propósito, mas se vocês preferirem posso começar a usar uns efeitinhos na hora de tirar foto dos pratos!

Esse amigo que me acompanhou curte dividir as coisas que nem eu. Então, apesar de eu poder ter comido uns 3 pratos daquele tagliatelle divino – que nem é grande não – nós o dividimos. Mas a quantidade é mesmo para 1 pessoa – não sei se recomendo a divisão – a não ser que sejam exóticos como nós e deem valor ao comer pouco para dar espaço à variedade! Haha. Digo isso, porque depois ainda dividimos um Kafta de cordeiro e uma beterraba com um molho que parecia ser algo como coalhada seca, que estavam muito bons também (esses dois, que estavam na parte de “entradas” do cardápio, eu fui convencida a pedir, já que beterraba está entre os alimentos que menos “amo” na vida – mas fui surpreendida). Percebi que tudo no CHOU tem essa assinatura de sabores frescos, leves e delicados, pensada de uma forma genial.

O kafta e a beterraba quase no fim...

O kafta e a beterraba quase no fim…

A sobremesa ficou por conta de um arroz doce com doce de leite. Provei muito pouco. E confesso que não me lembro do gosto. Mas arriscaria dizer que não é tão doce (eu curto as sobremesas bem doces!). Essa foi outra que foi escolha desse meu amigo-cheio-de-vontades que foi comigo! Hahaha. Ele já tinha provado e fez propaganda da sobremesa desde que chegamos ao restaurante! Heheh. Disse que era melhor que os melhores prazeres dessa vida. Eu acreditei né. Mas não sei se concordei. Haha. Depois que vocês forem deem o feedback e a opinião de vocês!

o arroz com três "leches"! E o doce de leite.

o arroz com três “leches”! E o doce de leite.

Informações Úteis:

De terça a quinta: 20h – 00h / Sexta e sábado: 20h – 01h / Segunda e domingo: fechado

Preço Médio: de R$ 100,00 a R$ 175,00 por pessoa.

Cartões de crédito:

Amex; Diners; Mastercard; Visa

Cartões de Débito:

Maestro; Rede Shop; Visa Electron

Endereço: Rua Mateus Grou, 345 – Pinheiros – São Paulo – SP

Telefone: (11) 3083 6998

Anúncios

LA MAR – O PERUANO CHIQUINHO PARA OS AMANTES DE CEVICHE EM SÃO PAULO

Destacado

Oi, gente!

Logo que anunciei no meu instagram pessoal a criação do Blog, postei uma foto desse restaurante Peruano que fui conhecer no dia do aniversário do meu pai. E disse – empolgada que sou – que o restaurante inauguraria o Blog, apesar de ter vários (!) outros na manga. E que têm até mais a ver comigo, que nem sou lá tãao fã de ceviche e comida demasiadamente apimentada – como outros fanáticos que conheço – umas amigas minhas vão se identificar! Rs.

Mas confesso que adorei conhecer o restaurante! Pelo momento. Pelo clima. Pelas companhias (pai e mãe só pra mim! Sem irmãos – hahah – “a-egoísta-malvada!”– mas é que é raro esse tipo de exclusividade na minha enorme e amada família) e porque fez ressuscitar no meu coração a vontade de escrever sobre eles – os restaurantes – que me encantam por serem um dos melhores programas noturnos, na minha opinião. Por aguçarem todos os sentidos – e todos eles me importam. Sério. Pensa. Visão, olfato, paladar, audição e tato! (Se vc está com dificuldade de “visualizar” o tato é só pensar na sensação corpórea que aquela taça de vinho te dá! Rs.)

Além do que, se ele agradou aos meus pais, agradará à clientela mais exigente! – meus pais tem um estilo mais tradicional, e – confesso – divergimos muito em relação a vários restaurantes mais contemporâneos, mas podemos abordar esse assunto depois – já que ainda falaremos muitos dos contemporâneos, incluindo os que dividem opiniões! Que pra mim são os melhores! hahah

Voltando ao restaurante em foco, a proposta de servir comida peruana de uma forma mais chiquezinha e completa, com entrada, prato principal e sobremesa me atraiu bastante. Até então, só conhecia simples e discretas Cevicherias. Ocorre que, neste restaurante, o ceviche é apenas a entrada! Sim! Uma experiência peruana completa! E  é encantador desde o site: http://www.lamarcebicheria.com/sao-paulo/  Vale muito a pena a visita – assista ao videozinho! ; ) – é site feito com carinho, sabe? Mas o ambiente mostrado ali não é o de SP! Já que a marca do restaurante tem estabelecimentos em Bogotá, Lima, Miami e São Francisco, além de São Paulo.

O de Sampa é assim ó:

Assim que vc chega.

Assim que vc chega.

Do lado de fora.

Do lado de fora.

IMG_4857

Vista do segundo andar - onde ficam os toilets.

Vista do segundo andar – onde ficam os toilets.

Fomos à noite, mas acho que cabe um almoço agradável lá também.

Pedimos o famoso Pisco Sour. Sou relativamente fresca para bebibas. Só gosto das de mulherzinha. Pedi um shot pequeno e doce. E curti a bebida. Mesmo. É uma bebida tipicamente peruana, mas conhecida em toda a América do Sul – feita de pisco (aguardente obtida da destilação da uva) + limão + pimenta + clara de ovo. Delícia!

Pisco Sour.

Pisco Sour.

De entrada pedimos uma degustação de ceviches! Lembrando que a pimenta e a acidez do limão agregam um certo incômodo ao meu paladar, os meus preferidos foram o verdinho e o de tamarindo – se eu não me engano. Mas todos foram muito elogiados pelos demais integrantes da mesa.

Se você tiver ido só pelos Ceviches, estiver visando um bom custo-benefício do restaurante e ainda quiser se manter em forma, acho que dá pra parar por aí e sair super satisfeito tendo conhecido um lugar novo e chiquetoso!

IMG_4855

De prato principal pedimos uma “plancha” bem gostosa e um arroz meio negro – bastante apimentado, mas interessante.

"Plancha" e panelinha de arroz negro com frutos do mar por cima. 3 pessoas comem mais que bem! ; )

“Plancha” e panelinha de arroz negro com frutos do mar por cima. 3 pessoas comem mais que bem!; )

Pedimos 2 sobremesas que estavam bem boas! Não me lembro os nomes e só pensei em tirar foto quando já estavam acabando! Mas acho que vale dar uma explorada no cardápio!

IMG_4853

?. Mas era boa.

La Mar.

Tinha algo com limão. Pelo que me lembro foi a vencedora entre as duas que pedimos! hehehe Na próxima eu prometo que anoto!!!

Preço médio: R$ 51,00 a R$ 75,00 por pessoa! (Mas, desde já, deixo claro que acho a faixa de preço algo mtmtmtmto variável e subjetivo em qualquer restaurante! Depende muito do vinho que se pede – quase sempre é isso que encarece – e, algumas vezes, da disposição das pessoas (ou não) em admitir que podem dividir um prato e sair satisfeitas! – acontece muito das pessoas se sentirem empanturradas ao fim de um almoço ou jantar e ainda pagarem caro por isso! Concordam? Sejam espertos! Dividam! Provem mais variedades e comam até um nível em que o prazer da comida continue um prazer! Sério! Pra mim, a comida tem que ser um prazer no antes, no durante e no depois! ; )))

Espero que tenham curtido! Deem notícias! Vamos trocar babados, informações e novidades!!! A ideia é ir dando um “tchan” no Blog com o tempo, melhorando as imagens e ir vendo o que funciona e o que não funciona, enquanto eu vou aprendendo a mexer nessas plataformas tecnológicas! heheh

Mtos bjos, queridos!!